segunda-feira, 10 de outubro de 2011

Para nós que trabalhamos com Inovação, respiramos Inovação, vivemos a era da Inovação, essa semana nos sentimos um pouco órfãos com a partida de Steve Jobs.

A visão empreendedora, a atitude, o amor pelo trabalho e o gosto por desafios fez dele a pessoa mais importante da era da Inovação e com certeza mudou totalmente o conceito de como podemos nos comunicar!

Falar de Steve Jobs é viver a Inovação da forma mais plena e intensa.
O mundo vai sentir a falta desse gênio da informática e da comunicação!

Nós, inovadores por influência e por atitude, por acreditarmos que tudo o que é novo pode e deve melhorar o mundo, se for usado de maneira correta, só podemos agradecer por ter tido a oportunidade de vivermos nesse período e podermos aprender e conhecer todas as maravilhas que Steve criou!

Steve Jobs (1955-201)


terça-feira, 23 de agosto de 2011

Disponibilizadas as primeiras 2 mil bolsas do Programa Ciência sem Fronteiras



 
O ministro da Ciência, Tecnologia e Inovação, Aloizio Mercadante, e o presidente do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq/MCTI), Glaucius Oliva, disponibilizaram nesta terça-feira (16) as primeiras duas mil bolsas de estudos da modalidade sanduíche para graduação no exterior, do Programa Ciências sem Fronteiras (CsF).
O valor das bolsas é de US$ 870 (mais benefícios) para as universidades nos Estados Unidos e de 870 euros (mais benefícios) para as instituições na Europa. Para alcançar a meta de 35 mil bolsas até 2014, a cada seis meses o CNPq fará uma nova adição de bolsas.
Oliva afirmou que a primeira cota se destina às mais de 250 Universidades e Institutos Federais de Educação Tecnológica que participam dos programas Institucional de Bolsas de Iniciação Científica (Pibic) e Institucional de Bolsas de Iniciação em Desenvolvimento Tecnológico e Inovação (Pibiti), todas receberão ao menos uma bolsa.
As instituições farão a seleção dos candidatos observando os critérios estabelecidos pelo CsF como, por exemplo, experiência em atividades de iniciação científica, desempenho acadêmico destacado, suficiência em inglês ou no idioma do país de destino, ter se destacado em olimpíadas científicas. Também está a cargo delas o contato e as negociações com as universidades estrangeiras, previamente selecionadas pelo Programa.
O presidente destacou a importância do CsF para o Brasil. Estamos dando o chute inicial neste Programa pensado pela presidenta Dilma. É a oportunidade de expor os nossos estudantes a um ambiente onde a Inovação já é o padrão. A intenção é que isso seja uma grande semente para promover o avanço que o país precisa. O primeiro desafio era garantir os recursos e isso já foi conseguido. O segundo é conosco, identificar os melhores talentos para estudarem no exterior, pontuou.
Além de estar dentro do corte de 600 pontos do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), o candidato deve ter cursado mais de 40% e menos de 80% do curso, em uma das áreas de interesse do CsF: Engenharia e demais áreas tecnológicas; Ciências Exatas e da Terra; Biologia; Ciências Biomédicas e da Saúde; Computação e Tecnologia da Informação; Tecnologia Aeroespacial; Fármacos; Produção Agrícola Sustentável; Petróleo, Gás e Carvão Mineral; Energias Renováveis; Tecnologia Mineral; Tecnologia Nuclear; Biotecnologia; Nanotecnologia e Novos Materiais; Tecnologia de Prevenção e Mitigação de Desastres Naturais; Tecnologia de Transição para a Economia Verde; Biodiversidade e Bioprospecção; Ciências do Mar; Indústria Criativa; Novas Tecnologias e Engenharia Construtiva, e Formação de Tecnólogos.
Ministro
Com a frase característica: Os melhores estudantes do Brasil, nas melhores universidades do mundo, o ministro Mercadante lembrou que o critério de seleção é o mérito, tanto do estudante, quanto da universidade e que o governo fará um investimento de R$ 3,2 bilhões ao longo dos quatro anos de duração do Programa, um investimento necessário para dar o salto de qualidade que o país precisa.
Ele lembrou que o Brasil é a sétima economia do mundo, o 13º em produção científica, mas apenas o 47º em Inovação, dados que motivaram a criação do CsF. O setor privado brasileiro precisa inovar mais, dois terços das patentes nacionais são financiadas pelo Estado. Isso é o oposto do que ocorre nos países desenvolvidos, pontuou. Mercadante também lembrou que existe a expectativa de que o setor privado custeie outras 25 mil bolsas.
Ciências sem Fronteiras
O objetivo desse Programa é a formação de recursos humanos altamente qualificados nas melhores universidades e instituições de pesquisas estrangeiras, com vistas a promover a internacionalização da ciência e tecnologia nacional, estimular pesquisas que gerem inovação e, consequentemente, aumentar a competitividade das empresas brasileiras. Esse objetivo será concretizado por meio da expansão significativa do intercâmbio e da mobilidade de graduandos, pós-graduados, pesquisadores e docentes brasileiros no exterior.
Visa também contribuir para o processo de internacionalização das instituições de Ensino Superior e dos centros de pesquisa nacionais, propiciando maior visibilidade da pesquisa acadêmica e científica que é feita no país, por meio da colaboração e do estabelecimento de projetos de pesquisa conjuntos instituições e parceiros estrangeiros.

Ciência na pauta de reuniões!


Ciência sem fronteiras

Ciência sem fronteiras

Ciência sem Front



Ciência sem Fronteiras na pauta de discussões internacionais
O programa Ciência sem Fronteiras será apresentado nesta semana a representantes de universidades chinesas por integrantes da delegação brasileira que está na China para tratar de uma série de acordos internacionais para a área de ciência, tecnologia e inovação.
A delegação apresenta o programa de bolsas aos representantes das instituições de ensino escolhidas para receber os estudantes brasileiros naquele país. Discute ainda iniciativas de intercâmbio em mobilidade, capacitação e treinamento na área espacial, considerando o lançamento do Programa Nacional de Atividades Espaciais (Pnae).
Da China a delegação, composta por representantes do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI), de alguns de seus institutos de pesquisa e de outras instituiçõs, segue para a Coreia do Sul, onde também está prevista a assinatura de memorando de entendimentos com universidades no âmbito do Ciência sem Fronteiras.

GESTÃO DA INOVAÇÃO É TEMA DE CURSO DA SBGC EDUCAÇÃO

GESTÃO DA INOVAÇÃO É TEMA DE CURSO DA SBGC EDUCAÇÃO

sexta-feira, 12 de agosto de 2011

Editais Abertos pelo CNPQ

1. 
Objetivo: Apoiar projetos que visem contribuir significativamente para o desenvolvimento científico, tecnológico e de inovação do País, direcionados ao desenvolvimento, consolidação e melhoria da infraestrutura de incubadoras para prestação de serviços a empresas de base tecnológica.
Inscrições: 05/08/2011 a 19/09/2011

2.
Objetivo: Apoiar projetos que visem contribuir significativamente para o desenvolvimento científico, tecnológico e de inovação do País, direcionados ao desenvolvimento, consolidação e melhoria da infraestrutura de parques tecnológicos.
Inscrições: 05/08/2011 a 19/09/2011

3. 
Objetivo: O PIBIC-EM tem por objetivo principal fortalecer o processo de disseminação das informações e conhecimentos científicos e tecnológicos básicos, bem como desenvolver as atitudes, habilidades e valores necessários à educação científica e tecnológica dos estudantes do ensino médio.
Inscrições: 15/07/2011 a 31/08/2011















Moradores de favelas cariocas pacificadas vendem produtos feitos com material reciclável



Favela Dona Marta e, ao fundo, o bairro de Botafogo, no Rio de Janeiro. (Foto: Wikimedia Commons)
Desde que algumas favelas cariocas foram pacificadas, as comunidades locais parecem viver um renascimento econômico e social. Obras estão em andamento. Teleféricos ligam os topos de alguns morros. E os moradores se organizam para vender produtos que são, literalmente, um resultado desta transformação recente.
Exemplo disso é a exposição que acontece hoje, dia 11 de agosto, de centenas de peças artesanais confeccionadas com materiais recicláveis por 250 empreendedores de quatro favelas: complexos do Alemão e de Manguinhos, Cidade de Deus e Santa Marta. A exposição dos produtos também estará, amanhã, na Cinelândia, no centro do Rio de Janeiro.
A feira faz parte do projeto Rio Ecosol, uma ação para incentivar atividades econômicas nas quatro favelas mencionadas, iniciada em dezembro do ano passado pela Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico Solidário (Sedes) da capital fluminense. A variedade dos produtos expostos vai de instrumentos musicais fabricados com partes de tubulações de água e esgoto não utilizadas nas obras do PAC (Programa de Aceleração do Crescimento) nas comunidades, a roupas confeccionadas com retalhos descartados por confecções.
Esta última iniciativa vem sendo desenvolvida pelo grupo Costurando Ideais, do morro Santa Marta. Além das roupas, as costureiras e bordadeiras levarão à feira bolsas feitas com caixas de leite. Para o evento na Cinelândia, amanhã, também estão programadas apresentações culturais de moradores das favelas.
O projeto Rio Ecosol continuará atuante nas quatro comunidades até outubro. Segundo o secretário municipal de Desenvolvimento Econômico Solidário, Marcelo Henrique da Costa, o prefeito Eduardo Paes negociará com os ministérios envolvidos no projeto a ampliação do trabalho para outras comunidades da capital.

Fonte: Agência Brasil

quinta-feira, 21 de julho de 2011

Estádio da Copa de 2014 é testado em túnel de vento

Estádio da Copa 2014 é testado em túnel de vento
O Instituto de Pesquisas Tecnológicas do Estado de São Paulo (IPT), iniciou uma série de ensaios em seu túnel de vento sobre esforços de vento em uma maquete do Estádio Plácido Aderaldo Castelo - o Castelão, na cidade de Fortaleza.
O objetivo do estudo é fornecer os coeficientes de pressão que darão segurança na concepção da cobertura ao projetista.
As obras de reforma, ampliação e adequação do estádio, que atingem cerca de 30% da estrutura original, tiveram início em dezembro de 2010 e os custos totais do investimento são estimados em R$ 518 milhões, segundo dados do Governo do Estado do Ceará.

Com 165 mil metros quadrados de área construída, o estádio terá uma área de cobertura do público de 55 mil metros quadrados, capaz de proteger os assentos dos 63 mil espectadores.
Telhado pendurado
O projeto do estádio foi concebido de modo que seus diversos pórticos se interligam na estrutura do concreto e "penduram" o telhado.
Para a execução de uma série de ensaios estáticos no IPT, os pesquisadores do túnel de vento simularam primeiramente a camada de limite atmosférica da região onde o estádio está localizado. Para isso, instalaram no piso do túnel de vento quatro geradores de vórtices e 580 blocos que caracterizam a rugosidade do local.
As medições do perfil de velocidade do vento, intensidade de turbulência e comprimento de rugosidade, que são algumas das características do vento natural, foram realizadas com o anemômetro de fio quente e o Tubo de Pitot.
Com a confirmação dos resultados da simulação, a equipe partiu para a instalação no túnel de vento da maquete do estádio, construída em escala 1:200, na qual estão instaladas 180 tomadas de pressão.
"Como o estádio tem uma estrutura praticamente simétrica, fizemos uma divisão da cobertura para medição em algumas seções. Isso permitirá a transferência de dados para outros pontos, o que irá equivaler a um número entre 350 e 400 tomadas de pressão", afirma Paulo Jabardo, pesquisador do IPT.
Ensaios em túnel de vento
Os ensaios no túnel de vento iniciaram efetivamente nesta quarta-feira.
"A cobertura é basicamente uma superfície e vamos medir as pressões em seus lados interno e externo", explica o pesquisador.
Para a execução dos primeiros ensaios em um estádio no túnel de vento do IPT, um dos principais desafios será justamente a coleta de dados na área interna da estrutura: ao contrário dos testes em edifícios feitos regularmente no Instituto, nos quais a coleta de dados depende de variáveis como portas ou janelas abertas e presença de móveis, a área interna no estádio demandará um maior rigor das informações pelo fato de ser totalmente aberta.
Os testes realizados no IPT são referenciados em função da norma NBR 6123:1988, da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT), que estipula as condições exigíveis na consideração das forças devidas à ação estática e dinâmica do vento, para efeitos de cálculo de edificações. Com a posse do laudo final fornecido pelo CMF, os responsáveis pela obra irão cruzar os dados com as informações das rajadas de vento na região para então projetarem a cobertura final.
Projeto nacional
O Castelão é um projeto desenvolvido e executado por arquitetos e escritórios de engenharia no Brasil. Segundo Flavio D'Alambert, engenheiro estrutural do projeto, a escolha de instituições como o IPT permite acompanhar pari passu os ensaios e traçar estratégias para otimizar a formatação dos dados coletados: "Os ensaios feitos fora do país também fornecem dados confiáveis, mas as informações não estarão disponíveis caso ocorram problemas de interferência e decida-se fazer uma ampliação ou redução das instalações; nestes casos, uma 'caixa preta' é recebida, e torna-se necessário trazer os responsáveis do exterior para atuarem novamente no projeto".
D'Alambert ressalta ainda a importância da execução de ensaios das estruturas em túneis de vento para a obtenção de projetos econômicos e seguros. Caso contrário, explica ele, os riscos são o superdimensionamento da estrutura, com aumento nos custos da obra, e a ocorrência de efeitos localizados críticos não-previstos, o que pode gerar problemas estruturais no futuro.

segunda-feira, 11 de julho de 2011

Encontro de Redes Sudeste e Expo Inova 2011

São Carlos recebe encontro de incubadoras da região Sudeste11/07/2011

Além do Encontro das Redes de Inovação, cidade será sede da Expo Inova 2011 e da Rodada de Negócios em TI; 50 empresas participam do evento
Nos dias 13 e 14 de julho, acontece no Parque São Miguel, em São Carlos (230 km de São Paulo), o 2º Encontro Regional de Incubadoras - Região Sudeste (Enrisud), evento que reunirá as Redes de Inovação dos Estados de São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais e Espírito Santo. Paralelamente, também serão realizadas a Expo Inova 2011 e a Rodada de Negócios em Tecnologia da Informação (TI) Eduardo Abdelnur, que reunirá 40 micro e pequenas empresas (MPEs) e dez empresas âncoras da região central paulista.  
A mostra é organizada pelo Instituto Inova - entidade responsável pela gestão do Centro de Desenvolvimento das Indústrias Nascentes (Cedin), do Parque Eco Tecnológico Damha, e da Incubadora Arcângelo Nigro, de Araraquara – em parceria com a Associação Nacional de Entidades Promotoras de Empreendimentos Inovadores (Anprotec) e Rede Paulista de Inovação (RPI), com apoio do Sebrae Nacional, da Prefeitura de São Carlos e do Grupo Encalso/Damha .
Segundo Alagui Marques Pereira, gestor da Incubadora Cedin e gerente financeiro do Instituto Inova, “o 2º Enrisud tem como objetivo proporcionar uma maior articulação entre as redes de incubadoras, capacitando gerentes e equipes de gestão de incubadoras, empreendedores e outros públicos afins”. Ele afirma que o evento proporcionará ao público uma diversidade de assuntos ligados ao empreendedorismo, além de promover um ambiente favorável para troca de experiências, difusão de conhecimento, integração, aproximação e interação com parceiros estratégicos.
Bruna Boa Sorte, gerente jurídico-administrativa do Inova, destaca que é a primeira vez que o Instituto realizará uma Rodada de Negócios com 10 empresas âncoras e 40 MPEs do segmento de Tecnologia da Informação. “Vamos expor tecnologia e inovação em um ambiente de negociações. A expectativa é impulsionar a geração de negócios entre as MPEs de TI de São Carlos e Araraquara, além de algumas convidadas do Estado de Minas Gerais, Rio de Janeiro e Espírito Santo e as empresas âncoras”, comenta.
Bruna considera a ideia de uma Rodada Negócios interessante por garantir visibilidade aos produtos e serviços que estão sendo desenvolvidos no centro-oeste paulista, um indicador de que os empresários estão investindo cada vez mais em tecnologia e inovação. Ao elogiar a parceria estabelecida com a Anprotec, a RPI, o Sebrae Nacional e o Grupo Encalso/Damha, a gerente jurídico-administrativa do Inova também destaca a presença das empresas âncoras. “São firmas de grande representatividade e respeito em São Carlos e região. Assim como MPEs de Tecnologia da Informação, que receberam o desafio e se organizaram, essas empresas farão uma importante participação na Rodada de Negócios”.
Fazem parte da programação do Encontro Regional de Incubadoras alguns painéis e palestras com a presença de convidados de renome nacional. O público-alvo é composto de empreendedores e gestores de incubadoras de empresas de todo o estado de São Paulo e dos demais estados envolvidos.
Cidade Promissora
Para Wladimir dos Santos, diretor-superintendente da RPI, a “rede está numa fase interessante e precisa diversificar sua área de atuação realizando eventos em várias regiões. Assim, é estratégico para a RPI investir em São Carlos, cidade promissora que está também num momento interessante, com o Parque Eco Tecnológico Damha e o Instituto Inova”.
Na opinião do gestor do Cedin, o evento terá uma importância especial para São Carlos, pois é a primeira vez que o município recebe um encontro dessa natureza. A cidade reúne hoje duas incubadoras e uma terceira, localizada no Parque Eco Tecnológico Damha, será construída em breve.
Marques está otimista. “Esperamos ter uma participação muito forte das MPEs que estão incubadas, pois o evento proporcionará, entre outras coisas, várias oportunidades de negócios, além da possibilidade de uma maior integração entre as empresas participantes.”

Informações e Inscrições:
As inscrições para o evento estarão abertas até o dia 11/07, segunda-feira.
CEDIN -  www.incubadora-saocarlos.com.br
Adriana ou Érica - (16) 3361-3213
(da Coordenação de Atendimento ao Associado do Instituto Inova)

quarta-feira, 6 de julho de 2011

FAPESPA ABRE EDITAL DE SUBVENÇÃO!

GOVERNO DO ESTADO DO PARÁ

FUNDAÇÃO DE AMPARO À PESQUISA DO ESTADO DO PARÁ (FAPESPA)

EDITAL N. 002/2011 - FAPESPA – SELEÇÃO PÚBLICA DE PROPOSTAS PARA APOIO À PESQUISA, DESENVOLVIMENTO E INOVAÇÃO EM MICROEMPRESAS E EMPRESAS DE PEQUENO PORTE NA MODALIDADE SUBVENÇÃO ECONÔMICA (PAPPE INTEGRAÇÃO)


O Governo do Estado do Pará, por intermédio da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Pará (FAPESPA), torna público o lançamento do presente Edital e convida microempresas e empresas de pequeno porte localizadas no Estado do Pará a participarem dessa Chamada Pública, de acordo com as condições previstas neste Edital.

1.   O PROGRAMA

1.1         O Programa de Apoio à Pesquisa em Empresas na Modalidade Subvenção Econômica à Microempresas e Empresas de Pequeno Porte nas regiões Norte, Nordeste e Centro-Oeste – PAPPE Integração – visa apoiar financeiramente, na forma de subvenção econômica, o custeio de atividades de pesquisa, desenvolvimento e/ou inovação (P, D & I) realizadas por microempresas e empresas de pequeno porte (MEEPPs), de acordo com a Lei nº 10.973, de 2 de dezembro de 2004 (Lei da Inovação), regulamentada pelo Decreto nº 5.563, de 11 de outubro de 2005.

1.2         O programa visa o desenvolvimento de produtos ou processos inovadores e foi instituído pela Lei da Inovação. Consiste em uma modalidade de apoio financeiro que faz parte de um conjunto de mecanismos das políticas de governo criados para promover a competitividade das empresas nacionais. Seu objetivo maior é estimular a ampliação e o adensamento das atividades de inovação no universo empresarial brasileiro.


2.   OBJETIVO  

2.1         Selecionar propostas empresariais para subvenção econômica à pesquisa e desenvolvimento de processos e/ou produtos inovadores no Estado do Pará.

As propostas devem estar enquadradas dentro dos seguintes temas, podendo ser selecionado mais de um tema:
·         Agrobioindústria;
·         Aproveitamento Econômico de Recursos Naturais;
·         Energia;
·         Tecnologia da Informação e Comunicação;
·         Tecnologia de Alimentos
·         Tecnologia Aplicada à Saúde;
·         Turismo;
·         Verticalização Mineral;
·         Pesca e Aquicultura.

3.   ELEGIBILIDADE

3.1   Empresários individuais, sociedades empresárias e sociedades simples enquadrados nas categorias de MEEPPs sediadas no Estado do Pará, que realizem, ou se proponham a realizar atividades de pesquisa, desenvolvimento e inovação (P, D & I) no Estado e que apresentem data de constituição (data de registro na Junta Comercial, para a sociedade empresária e empresário individual, ou Registro Civil de Pessoa Jurídica, para sociedade simples) anterior à data da publicação deste Edital.

3.2   As BENEFICIÁRIAS DA SUBVENÇÃO deverão ter o objeto social compatível com o escopo do projeto e/ou com as atividades a ele inerentes.

3.3   As MEEPPs, constituídas há pelo menos um ano da data do lançamento do edital, podem participar isoladamente ou por meio de parceria com uma ou mais empresas como co-executoras.

Para saber mais detalhes sobre o Edital, acesse: http://www.sig.fapespa.pa.gov.br/index.php?id=3&acao=4&edital_id=361

Participem, vale a pena! 


TopBlog 2011


Este Blog está participando do TOPBLOG 2011.

Top Blog Prêmio é um sistema interativo de incentivo cultural destinado a reconhecer e premiar, mediante a votação popular e acadêmica (Júri acadêmico) os Blogs Brasileiros mais populares, que possuam a maior parte de seu conteúdo focado para o público brasileiro, com melhor apresentação técnica específica a cada grupo (Pessoal, Profissional e Corporativo) e categorias.

Vote no meu Blog, ajude a divulgar a Inovação e a Tecnologia.

Desde já agradeço seu voto!

Reportagem sobre Clusters na Valor Econômico

"Cresce interesse em criar novos Parques Tecnológicos - Do Norte ao Sul do país, espalham-se arranjos produtivos locais, nas áreas de petróleo, gás, energia, TI e biotecnologia" (Por Jacilio Saraiva).

A Valor Econômico Especial - Inovação, lançou em sua revista uma série de reportagens sobre investimentos em pesquisa como garantia do avanço das cadeias produtivas. Em uma dessas matérias foram entrevistadas várias pessoas do país que atuam em 25 pólos produtores de inovação formalizados e mais de 30 em projetos, o Brasil espalha centro de pesquisa com vocação empresarial, do Rio Grande do Sul à Amazônia.

Os "clusters" de base tecnológica reúnem empresas, incubadoras de empresas, laboratórios e universidades e sua principal missão é estimular o desenvolvimento de produtos e empreendimentos inovadores. Para isso, investem em projetos de pesquisa, na atração de investimentos e na sinergia entre o meio corporativo e o acadêmico.

A matéria completa sobre Clusters do Norte ao Sul pode ser lida no site: http://www.revistavalor.com.br/home.aspx?pub=53&edicao=2

Eu fui uma das pessoas entrevistadas para essa matéria e pude contribuir falando sobre a construção dos 3 parques de ciência e tecnologia do Estado do Pará, pioneiros na região e como observo a participação de empresas nas incubadoras de negócios.

Leiam a matéria, ou melhor, leiam a revista. Vale a pena! 

segunda-feira, 30 de maio de 2011

Lançamento da pedra fundamental do Instituto Tecnológico Vale de Belém

Vale

Vale e Governo do Pará lançam pedra fundamental do ITV de Belém

A Vale e o Governo do Pará lançam hoje a pedra fundamental do Instituto Tecnológico Vale (ITV) de Belém, que será dedicado a pesquisas de médio e longo prazo na área de desenvolvimento sustentável. O centro contará com cerca de 300 profissionais do seu quadro próprio e visitantes, entre os quais pesquisadores e professores brasileiros e estrangeiros doutores e pós-doutores.  Serão investidos cerca de R$ 162 milhões na construção do centro.

O instituto, cuja inauguração está prevista para 2013, vai ocupar uma área de 140 mil metros quadrados do Parque de Ciência e Tecnologia do Guamá. Em outubro, o ITV estará instalado provisoriamente em um prédio, de 2,1 mil metros quadrados, também na capital paraense.

A unidade de Belém é uma das três que o ITV está construindo no Brasil. As demais ficarão em Ouro Preto (MG) e São José dos Campos (SP). A de Ouro Preto será dedicada à mineração e a de São José de Campos, à área de energia de baixo carbono.

“O ITV de Belém será um centro de excelência, com referência internacional, que vai projetar a imagem de Belém como um grande pólo de ciência e tecnologia brasileiro”, afirma o diretor-presidente do ITV, Luiz Mello.

O diretor do ITV paraense é o professor Luiz Carlos Silveira, médico formado pela Universidade Federal do Pará (UFPA), doutor em Biofísica pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), com pós-doutorado em Neurociência na Universidade de Oxford. Silveira é professor associado da UFPA, onde fundou o Programa de Pós-Graduação em Neurociências e Biologia Celular e dirigiu o Núcleo de Medicina Tropical. Tem atuação intensa na comunidade de Ciência e Tecnologia, como membro do Comitê Assessor do CNPq e do Grupo Assessor da Diretoria de Cooperação Internacional da CAPES. “Luiz Carlos é um dos exemplos dos objetivos do ITV, que é investir nos talentos locais, paralelamente à outra estratégia, que é a de trazer pesquisadores brasileiros radicados no exterior e atrair para o país talentos internacionais”, completa Mello.

O projeto do ITV de Belém é assinado pelo arquiteto Paulo Mendes da Rocha, ganhador, em 2006, do Prêmio Pritzker, o mais importante da arquitetura mundial. Totalmente sustentável, prevendo reuso de água e redução do consumo de energia, o projeto buscou reproduzir as construções ribeirinhas, típicas da Amazônia brasileira.

“Todo o projeto foi submetido ao importante fenômeno das águas que sobem e invadem áreas de floresta às margens do rio. As estruturas de aço ficarão suspensas, numa construção “a seco”, e poderão ser transportadas pela estrada já em peças claramente configuradas, industrializadas, sem necessidade de técnicas tradicionais de edificação, envolvendo o consumo de água, pedra e cimento. Suspenso sobre o Rio Guamá, o centro vai interferir minimamente no meio ambiente local, respeitando o regime das águas. Com esta implantação, todo o recinto se transformará em um peculiar museu de preservação ambiental”, explica o arquiteto.

ITV

O Instituto Tecnológico Vale é uma instituição sem fins lucrativos, concebido pela Vale. Sua missão é criar opções de futuro por meio de pesquisa científica e desenvolvimento de tecnologias de forma a expandir o conhecimento e a fronteira dos negócios da Vale de maneira sustentável.

Com a iniciativa, a Vale pretende ampliar a produção de pesquisas científicas e o desenvolvimento econômico de base tecnológica no país, além de gerar e difundir novos conhecimentos para o desenvolvimento socioeconômico, ambiental e para a cadeia da mineração no Brasil.

Desde que foi lançado, em 2009, até agora o ITV já distribuiu mais de 100 bolsas de mestrado e doutorado. Recentemente, o Instituto fechou um convênio com o CNPq (Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico) para oferecer bolsas de pós-graduação a moçambicanos em universidades brasileiras, além de convênios com o MIT (Massachusetts Institute of Technology) e com a EPFL (École Polytechnique Fédérale de Lausanne), da Suíça.

Outra ação inédita foi a parceria com as Fundações de Amparo a Pesquisa dos estados de Minas Gerais, São Paulo e Pará, no valor de R$ 120 milhões, para fomento de projetos de pesquisa científica e tecnológica nas áreas de mineração, energia, ecoeficiência e biodiversidade e processos ferrosos para siderurgia. É a maior parceria do setor privado com órgãos públicos de fomento do país.

Fonte: Vale Imprensa

segunda-feira, 2 de maio de 2011

Edital Inovar Fundos - Prazo encerra dia 04 de maio!

Inovar Fundos - O prazo é até 04 de Maio!!

A12ª Chamada Pública do Inovar Fundos, encerra dia 04 de maio, as 13 horas. Gestores e administradores de fundos de Venture Capital (capital empreendedor) Private Equity e fundos de Fundos não podem perder a chance de apresentar suas propostas de capitalização.
De acordo com o edital da chamada, estão aptas a pleitearem investimentos empresas que exerçam ou pretendam exercer as funções de administrador e/ou gestor do fundo, com autorização da Comissão de Valores Mobiliários (CVM), para prestar serviços de Administração de Carteira de Valores Mobiliários.
Além dos investidores do programa, a banca contará com a presença de investidores convidados (nacionais e internacionais). O edital marca, ainda, a entrada da ELOS - Fundação Eletrosul de Previdência e Assistência Social - como investidora Inovar.
O resultado da pré-qualificação do processo será divulgado a partir do dia 13 de maio. Um mês depois – entre os dias 13 e 17 de junho – os aprovados na primeira etapa deverão se submeter à avaliação da banca do programa. O parecer final será divulgado a partir do dia 8 de julho.
As propostas de capitalização deverão ser enviadas de duas formas. A primeira delas, em versão eletrônica, no formato .DOC, .DOCX ou .PDF, por intermédio do e-mailinovarfundos@finep.gov.br,  respeitado o limite de 6 (seis) megabytes (toda a proposta deverá estar em um único arquivo).
segunda, em versão impressa, aos cuidados da secretária do Departamento de Investimentos da Área de Investimentos da FINEP, situada na Praia do Flamengo 200 – 8º andar – Rio de Janeiro / RJ – CEP: 22210-030.
Cada proposta deverá apresentar o seguinte conteúdo: foco do fundo em relação ao perfil de empresas, investimento máximo e mínimo do fundo por setor e por empresa, prazo de duração do fundo, e número de empresas a serem investidas, entre outras informações.
Serão avaliadas para pré-qualificação, no máximo, duas propostas de uma mesma firma gestora. Caso a firma gestora envie mais de duas propostas, serão avaliadas as duas primeiras recebidas pela Financiadora.
Segundo Patrícia Freitas, superintendente da Área de Investimentos da FINEP, a participação dos fundos de Venture capital e Private equity tem contribuído de forma decisiva, nos últimos anos, para o crescimento de companhias brasileiras. “Elas desenvolvem sua governança corporativa, aumentando a competitividade”, afirma a executiva.

segunda-feira, 18 de abril de 2011

Encerramento do Curso MBA em Gestão de Habitats de Inovação

A primeira turma do Curso de Especialização "MBA em Gestão de Habitats de Inovação", realizado pela FIA em parceria com a ANPROTEC e o SEBRAE Nacional, entregou na última semana o Trabalho de Conclusão de Curso.

Foram produzidos pelos participantes do curso, 20  trabalhos individuais, inclusive o meu, já que fui uma das alunas da turma.

A ANPROTEC e o SEBRAE Nacional pensam em transformar os trabalhos em uma bibliografia.

Eu tomei a iniciativa de pedir aos colegas da turma para me enviarem os trabalhos, e me permitam postar todos eles aqui no Blog, se for permitido, a partir do envio dos mesmos, um a um será colocado a disposição dos internautas.

Aguardem! Caso a resposta dos colegas sejam positivas em breve todos poderão participar do Blog, escolhendo os 5 melhores trabalhos.

Abraços, até mais.

Uma vista de Israel

Uma vista de Israel
Um lugar chamado "A cidade Dourada"

Minha Belém

Minha Belém
Nada se compara a essa Terra de Maravilhas Mil. Brasil és abençoado e Belém passou na fila várias vezes! AMO MEU PARÁ, AMO MINHA BELÉM!